Investigadores japoneses desenvolveram uma seda muito resistente, que tem utilidade no setor têxtil e cirúrgico, ao combinar genes de aranhas e bichos-da-seda através de engenharia genética.

A denominada «spider silk» (seda de aranha), material mais forte e suave que a seda convencional, foi criada por investigadores da Universidade de Shinshu (centro), informou o diário Asahi.

Masao Nakagaki, professor da Faculdade de Ciência Têxtil e Tecnologia daquela universidade, foi o primeiro a implantar, em 2007, genes de aracnídeos em bichos-da-seda, os quais produziram, posteriormente, esta seda, cujos componentes se encontram presentes nas teias de aranha.

Após vários anos de investigação chegaram a um ponto em que a “seda de aranha” contém pelo menos 20% dos componentes das teias, tendo desenvolvido já alguns protótipos de meias através do novo material.

Espera-se que este tipo de seda híbrida tenha aplicações em setores diferentes do têxtil, como no fabrico de fio cirúrgico e vasos sanguíneos sintéticos.

Com o objetivo de desenvolver comercialmente este tipo de seda, a universidade alcançou recentemente um acordo com o governo de Kyotango, na prefeitura de Quioto, no centro do Japão.

À luz do acordo, ambas as instituições comprometem-se a colaborar em áreas de desenvolvimento industrial, formação de pessoal, investigação académica e no uso das instalações para a produção comercial da seda, explica o jornal nipónico Asahi.