Um bebé com três “pais”, ou seja, com ADN de três pessoas, nasceu no México há cinco meses e está saudável.

A nova técnica ainda só tem enquadramento legal no Reino Unido. No México não há legislação sobre a matéria e acabou por ser lá que uma equipa norte-americana liderada por John Zhang, do Centro de Fertilidade New Hope em Nova Iorque, cumpriu o processo.

De acordo com a revista britânica New Scientist, a utilização de material genético de três pessoas permite que pais com mutações genéticas tenham bebés saudáveis 

Neste caso, a mãe do bebé, de 36 anos, é saudável mas portadora de genes de Síndrome de Leigh, uma doença que afeta o desenvolvimento do sistema nervoso. Já tinha sofrido quatro abortos e perdido dois filhos, de seis anos e de oito meses, para a doença, quando resolveu procurar ajuda que lhe garantisse ter um bebé saudável.

O que a nova técnica permitiu foi evitar a transmissão de certas doenças das mitocôndrias, herdadas através da mãe, utilizando a genética dos pais e de uma dadora de ovócitos, ou seja, de duas mães e um pai.