A paleontóloga Elisabete Malafaia considerou que a descoberta de mais de cem fósseis de dinossauros saurópodes em Junqueira, Santiago de Litém, concelho de Pombal, vai acrescentar conhecimento a esta fauna.

“Os saurópodes estão bem representados no Jurássico Superior de Portugal, mas no setor norte da bacia Lusitânica, estrutura sedimentar que se prolonga de Mafra até Aveiro, onde se inscreve Pombal, são relativamente escassos. Acreditamos que esta descoberta vai acrescentar informação para conhecer de uma melhor forma esta fauna”, afirmou hoje à agência Lusa Elisabete Malafaia, colaboradora do Museu Nacional de História Natural e da Ciência.

A investigadora integrou uma equipa que, na passada semana, realizou uma escavação em Junqueira, localidade do distrito de Leiria, após terem sido descobertos alguns restos fósseis num terreno particular. No trabalho estiveram, também, Bruno Ribeiro, do mesmo museu, e três investigadores da Universidade Nacional de Educação à Distância, de Madrid.

Segundo Elisabete Malafaia, aluna de doutoramento da área da paleontologia da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, “foram encontrados vários fragmentos de esqueleto, sobretudo de dinossauros saurópodes, mas também, embora muito mais raros, de crocodilos e carapaças de tartaruga”.

“O predominante é fragmentos de vértebras e costelas de dinossauros saurópodes”, declarou a investigadora, referindo que os fragmentos terão entre 145 a 150 milhões de anos e estavam localizados numa área de dois metros quadrados.


Elisabete Malafaia esclareceu que “os fósseis foram transportados para o museu e vão ser preparados no laboratório para que, depois de estudados, possam ser expostos”.

Realçando a “total disponibilidade” dos proprietários do terreno para a realização do trabalho, a paleontóloga adiantou que a zona de Santiago de Litém “tem muito potencial”, considerando mesmo que é “um dos sítios mais importantes para o conhecimento da fauna do Jurássico Superior português”.

Numa nota de imprensa, o vice-presidente da União das Freguesias de Santiago, São Simão de Litém e Albergaria dos Doze, Guilherme Domingues, informa que “Santiago de Litém é já conhecida pela sua jazida dos Andrés, na qual se encontraram os restos do primeiro dinossáurio carnívoro Allosaurus na Europa”, como conta a Lusa.

“A jazida de Andrés tem proporcionado uma importante coleção de restos de organismos que habitaram na zona há cerca de 145 milhões de anos, durante o Jurássico Superior”, refere a mesma nota.

Segundo o autarca, “atendendo à semelhança dos restos com os encontrados em Andrés”, a junta de freguesia, após ser informada deste achado, “resolveu contactar a equipa que acompanhou estes trabalhos e que continuam a investigar os fósseis”.

“Os saurópodes são um grupo de dinossáurios de grandes dimensões, quadrúpedes, herbívoros muito abundantes durante o Jurássico Superior em todo o mundo e representados por formas tão conhecidas como ‘Diplodocus’ e ‘Brontosaurus’”, adianta a mesma nota, esclarecendo que, “atendendo à dimensão de alguns dos restos encontrados, estima-se que os saurópodes da Junqueira poderiam atingir mais de 20 metros de comprimento”.

Na mesma nota, Guilherme Domingues acrescenta que, “tendo em conta a abundância de achados, a equipa de investigação e a junta de freguesia estão já empenhados na preparação, para muito em breve, da próxima campanha de escavações”.