A agência espacial europeia (ESA) divulgou, esta quarta-feira, quatro imagens captadas pelos seus satélites de observação da Terra Proba-V e Sentinel 3 da região de Pedrógão Grande e de concelhos vizinhos.

Uma das imagens, recolhida pelo satélite Proba-V, mostra a região no dia 17, antes do incêndio que fez 64 mortos e mais de 200 feridos. 

Já as outras três imagens, duas recolhidas pelo satélite Proba-V e uma recolhida pelo Sentinel 3, mostram o depois do incêndio onde é possível ver quer a mancha escura de área ardida quer as chamas ainda ativas.

O incêndio, que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos, segundo o último balanço, divulgado esta quarta-feira. É o mais mortífero da história do país.

O fogo começou em Escalos Fundeiros, e alastrou depois a Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria.

Desde então, as chamas chegaram aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.

O incêndio consumiu cerca de 30 mil hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.