Robôs que podem salvar vidas em acidentes no mar, um projeto europeu de 17 milhões de euros, são hoje e sexta-feira apresentados em Portugal, na Base Naval do Alfeite (Almada).

Os robôs resultam do projeto ICARUS (Integrated Components for Assisted Rescus and Unmanned Search Operations - Componentes Integradas para Assistência a Operações de Busca e Salvamento), que teve início em 2012 e que está em fase final, sendo realizados em Portugal os últimos testes e demonstrações.

De acordo com um comunicado do INESC - Tecnologia e Ciência, um dos parceiros do projeto, a partir de janeiro do próximo ano os robôs vão estar disponíveis na Europa, para dar apoio em ações de busca e salvamento, em caso, por exemplo, de grandes catástrofes.

“O projeto tem como objetivo desenvolver ferramentas robóticas que vão auxiliar as equipas de resgate em operações de busca e salvamento, numa componente de segurança terrestre e marítima. A inovação destes robôs é a capacidade que têm para ser utilizados em cenários de crise, como, por exemplo, numa situação de desastre natural”, diz o comunicado.


Os robôs serão um instrumento complementar de auxílio e estão equipados com sensores para a deteção de seres humanos.

O projeto ICARUS reúne 24 parceiros de nove países, um deles Portugal. Além do INESC e da Escola Naval fazem parte do consórcio, do lado português, a ESRI Portugal (sistemas e informação geográfica). O projeto é coordenado pela Academia Militar belga.