O piloto do avião Solar Impulse 2, o suiço André Borschberg, entrou para a história da aviação ao realizar um voo de mais de 120 horas, na etapa Japão-Havai, na viagem que está a empreender à volta do mundo.

André Borschberg, de 62 anos, classificou o voo sobre o Pacífico, cujo percurso rondou os 8.200 quilómetros feitos na cabine do avião de lugar único, como “uma viagem ao interior”.

O voo permitiu que se sentasse aos comandos do aparelho e fazer “umas sestas de gato”, de 20 minutos. Nesses breves momentos de descanso, usava braçadeiras de vibração ligadas ao piloto automático do avião para despertar ao menor sinal de anomalia.