Stephen Hawking está preparado para vestir a pele de vilão num filme da saga «007». A sugestão é deixada pelo próprio. O britânico prefere o papel do mau e enfrentar o herói James Bond, em defesa de Sua Majestade.

«Penso que a cadeira de rodas e a voz computadorizada ajustavam-se ao papel», disse. Uma voz com um «sotaque americano», como contou à revista «Wired», já que James Hawking perdeu a voz e agora fala por um sistema de computador que é ativado através da sua bochecha.

O bom humor é, sem dúvida, uma arma para este homem, com 72 anos e praticamente paralisado devido a uma doença neurológica. Ninguém o para e nada o impede de fazer aquilo de que gosta. Exemplo disso são as participações que tem feito em filmes e séries, como «Star Trek», «Monty Python», com direito a uma personagem nos «Simpsons» e, em breve, imortalizado num filme dedicado à sua vida: «The Theory of Everything».

A doença foi diagnosticada a Stephen Hawking aos 21 anos, quando frequentava a Universidade de Cambridge. Ao longo dos anos, tem perdido a mobilidade, mas não a força de viver.