Cerca de metade das 15 mil espécies de árvore da floresta amazónica, a mais diversificada do mundo, estão em perigo em resultado da desflorestação, segundo um estudo divulgado esta sexta-feira nos EUA.

A investigação foi realizada por um grupo de 158 investigadores de 21 países, liderados por Hans ter Steege, do Museu de História Natural de Leiden, na Holanda, e publicada na revista Science Advances. 

O estudo conclui que se a desflorestação continuar ao ritmo atual, cerca de 40% da floresta original vai ser destruída até 2050. 
 

“Pelo menos 36%, e até 75%, de todas as espécies de árvore da floresta amazónica podem ser classificadas como globalmente ameaçadas."

Entre estas espécies ameaçadas está por exemplo a castanheira-do-Brasil, uma árvore que chega a 50 metros de altura.

Para os investigadores, os resultados do estudo devem estar na base das políticas conservação da floresta. Os cientistas defendem, por exemplo, que áreas protegidas e territórios indígenas podem oferecer uma maior proteção às espécies mais ameaçadas.