Instituído desde 1975 pelo violinista e presidente do Conselho Internacional da Música, Yehudi Menuhin, o Dia Mundial da Música é celebrado anualmente a 1 de outubro. Portugal não fica de fora dos festejos, promovendo várias iniciativas de norte a sul do país.

Em Lisboa, o pianoforte de Henrique van Casteel, construído há 250 anos, será a peça central de um recital do pianista José Carlos Araújo no Museu da Música, a partir das 18h00.

A obra de Mozart será recordada pela Orquestra Clássica do Centro e pelo oboísta Andrew Swinnerton, no Conservatório de Coimbra, às 21h30.

Às 22h00, a Casa da Música, no Porto, recebe um concerto para 100 flautas e 100 saxofones, com arranjo de Daniel Moreira.

Mas como não é só de música erudita que se faz um Dia Mundial da Música, há mais propostas de concertos para esta terça-feira. Noiserv, alter-ego musical de David Santos, apresenta as canções do novo disco no Teatro Municipal São Luiz, em Lisboa, a partir das 21h00.

«Almost Visible Orchestra» é o nome do álbum que só chega às lojas na próxima semana, mas que Noiserv antecipará ao vivo já esta noite numa atuação a solo, cheia de camadas sonoras e loops.



Quanto a discos lançados esta semana, destaque para «Turbo Lento», o terceiro longa-duração dos Linda Martini. O single «Ratos» foi o primeiro cartão de apresentação de um álbum que continua a caminhada ascendente de uma banda que celebra este ano o seu décimo aniversário.

Linda Martini em entrevista: «Os ratos somos nós»



Ainda dentro do universo indie, mas com muito menos distorção e mais sentido pop, as californianas Haim fazem a estreia discográfica com «Days Are Gone». Segundo a BBC, a banda das irmãs Haim é uma das revelações deste ano.



Esta semana fica também marcada pelo rápido regresso aos discos de Justin Timberlake. É que o cantor norte-americano não ficou satisfeito em lançar apenas um álbum este ano, editando agora a segunda parte de «The 20/20 Experience».