O cantor norte-americano, Prince, ordenou que todas as suas músicas fossem retiradas da maioria dos serviços de streaming de música (programas como o Spotify), numa nova demonstração da sua “aversão” à internet.

O único serviço que ainda tinha canções de Prince disponíveis esta quinta-feira é o “Tidal”, programa que tem crescido, justamente, pelos conteúdos exclusivos.

Segundo a AFP, uma mensagem disponibilizada aos utilizadores do Spotify informava que a editora do cantor “pediu a todos os serviços de streaming que removessem as suas músicas”.

“Cooperámos com o pedido, e esperamos que volte o mais depressa possível”, lia-se na mesma mensagem.


Prince, que até era um grande apoiante da música online, declarou em 2010 que a [era da] internet “tinha acabado” e até lançou um álbum exclusivamente em formato físico, distribuído junto com alguns jornais europeus.

Mas as “guerras” com a internet não ficam por aqui, no ano passado deixou as redes sociais, tendo apenas regressado ao Twitter para promover a sua digressão “Hit and Run”, que consiste em anunciar concertos com pouca antecedência.

Prince junta-se desta forma a outros resistentes destas plataformas como os donos dos direitos dos The Beatles e Garth Brooks.

Recentemente, as lendas do rock AC/DC e a cantora Talor Swift renderam-se ao serviço após muita resistência. No entanto, esta última disponibilizou as suas canções apenas no serviço da Apple, após acordo.