A nave tripulada Soyuz MS-06, sob a direção do comandante russo Alexander Misurkin, acoplou-se, esta quarta-feira, com êxito à Estação Espacial Internacional.

Segundo a agência espacial Roscosmos, o acoplamento ocorreu em modo automático após menos de seis horas de voo.

A bordo do aparelho, viajaram também os engenheiros de voo norte-americanos Mark Vande Hei e Joe Acaba, ambos da agência espacial norte-americana NASA.

A Soyuz descolou às 22:17 de segunda-feira (hora em Lisboa) a partir do cosmódromo de Baokonur (Cazaquistão) com a ajuda de um foguetão Soyuz FG.

O comandante Alexander Misurkin inicia com esta viagem a segunda estada na Estação Espacial Internacional. Antes tinha permanecido 138 dias no Espaço, em duas missões.

A Estação Espacial Internacional (EEI), um projeto de mais de 150.000 milhões de dólares (128.000 milhões de euros), em que participam 16 países, inclui atualmente 14 módulos permanentes e orbita a uma velocidade de mais de 27.000 quilómetros por hora.

A órbita da plataforma é elevada, de tempos em tempos, com a ajuda dos propulsores de naves que são acopladas a ela, dado que a EEI perde diariamente entre 100 e 150 metros de altura devido à gravitação terrestre, à atividade solar e a outros fatores.