A GNR de Viseu só vai pagar em setembro aos seus militares o suplemento de escala mensal de agosto, que, por «dificuldades de serviço», não será entregue este mês, informou a Associação Nacional de Guardas (ANAG-GNR).

O suplemento, num montante da ordem dos 150 euros, é pago em conjunto com a remuneração mensal e é atribuído mas os cerca de 700 guardas do Comando Territorial da GNR em Viseu só o receberão em setembro, disse à agência Lusa Pedro Gouveia, vice-presidente da associação.

A ANAG fez diligências no sentido de resolver a situação junto do Comando-Geral da GNR, mas foi-lhe dito que «não podia ser feito nada» e que aquela verba seria «reposta em setembro», adiantou Pedro Gouveia.

Fonte do gabinete de relações públicas do Comando Territorial da GNR em Viseu disse que, devido à «indisponibilidade» de funcionários do respetivo serviço, «não houve capacidade para fazer o lançamento» do suplemento de escala.

O suplemento que deveria ser pago em agosto «será reposto no próximo mês», assegurou a mesma fonte.

Em comunicado, a associação considerou «esta situação inaceitável, uma vez que os cerca de 150 euros de suplemento de escala fazem falta a muitos militares».

Embora se trate de «um valor aparentemente pequeno, representa uma importante verba no orçamento familiar dos guardas, que na maioria auferem salários-base muito baixos», advertiu Pedro Gouveia, sublinhando que «já não é a primeira vez» que militares de outros comandos territoriais da GNR não recebem o suplemento de escala na data devida.

As «dificuldades de serviço» que impediram o processamento nas folhas de vencimento dos guardas do Comando da GNR de Viseu estão relacionadas com a ausência dos dois funcionários a quem compete essa tarefa, um dos quais «está de férias e outro de baixa médica», acrescentou.

A ANAG entende que é «absolutamente legítimo o gozo de férias e o direito a recuperar de doença em casa», mas «lamenta que a ausência desses elementos não tenha sido assegurada pelo Comando Territorial da GNR de Viseu».