O número de casos de infeção pelo vírus Zika subiu para seis em Portugal. De acordo com a informação divulgada no site da Direção-Geral de Saúde (DGS), todos os casos são importados da América do Sul e nenhum deles ocorreu em grávidas.
 
Na quarta-feira, a DGS dava conta de cinco casos em Portugal, importados de portugueses que estiveram no Brasil, mas que já recuperaram por completo. Na quarta-feira havia ainda a suspeita de um cidadão que regressou da Colômbia, que poderia ter sido infetado com o vírus e cujo caso estava em análise.
 
O diretor-geral da Saúde e o ministro da Saúde insistiram que não há razões para alarmismo. Adalberto Campos Fernandes  garantiu que os " portugueses podem estar tranquilos" com a situação do vírus Zika, uma vez que a situação está controlada e o risco é confinado. 
 
A DGS informa que a infeção pelo vírus Zika é devida a uma picada de mosquito do género Aedes que desde há muito não existe no Continente Português. Uma vez que, em regra, a doença não se transmite de pessoa a pessoa não haverá risco de formação de cadeias de transmissão.