O livro «Portugueses Ilustres. De Viriato a Almeida Garrett», de Pinheiro Chagas, publicado pela primeira vez em 1869, é reeditado nesta semana, pela Vogais.

A nova edição segue a segunda da obra, datada de 1873, mais completa, «benevolentemente acolhida pelo público», como escreveu então o autor no prólogo.

Surgida quatro anos depois da primeira, a segunda edição foi «revista, correta e aumentada», como esclareceu Pinheiro Chagas, que foi jornalista, escritor e historiador.

«Aumentei o volume com um grande número de biografias essenciais», escreveu o autor com uma explicação: «Desejei que se aproximasse, tanto quanto possível, da perfeição requerida nestas obras destinadas ao ensino.»

A obra «Portugueses Ilustres» teve nova edição em 1983, sendo a da Vogais a quarta edição, com uma tiragem de 1.500 exemplares.

O livro referencia 133 «portugueses ilustres», sobre os quais Pinheiro Chagas sintetiza a biografia pública e salienta os principais feitos e obras.

As personagens históricas estão ordenadas por ordem cronológica, desde Viriato (falecido em 138) a Almeida Garrett (falecido em 1854).