A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção de um homem suspeito de ter sequestrado e violado uma mulher, ao longo de vários dias, na região de Lisboa.

Em comunicado hoje divulgado, a PJ refere que o homem, com 47 anos, é suspeito da autoria de «diversos crimes de violação, rapto e sequestro».

Segundo a polícia, o homem conheceu a vítima, uma mulher de 40 anos, num estabelecimento de diversão noturna, este verão. O suspeito terá proposto à mulher que fosse residir com ele e prometeu-lhe um emprego como gestora de uma loja, o que esta aceitou.

«Poucos dias após a mudança, a várias dezenas de quilómetros do local onde se haviam conhecido, a vítima constatou que o autor tinha como único propósito o relacionamento sexual», descreve o comunicado da PJ.

A mulher terá percebido então que o homem «não dispunha de recursos económicos para iniciar a suposta atividade comercial que lhe havia oferecido» e este «começou a limitar a sua liberdade de movimentos», relata a polícia.

Segundo a PJ, o suspeito retirou os telemóveis e documentos pessoais da vítima e impediu-a de contactar com outras pessoas, de se ir embora ou de sair à rua, «trancando-a à chave num quarto de onde não tinha hipóteses de fugir ou de pedir ajuda».

«Durante esse período, o autor forçou o relacionamento sexual contra a vontade da vítima, que, ao fim de cerca de uma semana, acabou por conseguir fugir por uma janela e regressar à localidade onde residia», acrescenta.

A polícia conta que o alegado raptor «continuou a contactar insistentemente a vítima para que regressasse, ameaçando-a de a ir buscar», o que viria a acontecer: a mulher regressou à situação anterior, mas conseguiu novamente fugir e pedir a proteção da GNR da área da residência.

Apesar de saber disto, o suspeito prosseguiu nos contactos e nas ameaças até ao momento da detenção.

O detido será ouvido em tribunal, que irá determinar as medidas de coação.