O Tribunal de Porto de Mós decretou a prisão preventiva a um homem suspeito de violência doméstica, por atos praticados contra a companheira, anunciou esta quinta-feira a página do Ministério Público de Leiria.

De acordo com o Ministério Público, o arguido, "motivado por sentimentos de ciúme, manteve discussões acesas com a vítima, sua companheira, e, por diversas vezes, proferiu ameaças e desferiu bofetadas no rosto daquela e murros em diversas partes do seu corpo".

Em meados de julho, o suspeito terá agarrado "o pescoço da vítima, com ambas as mãos, provocando-lhe estrangulamento, e desferiu pancadas na sua face, obrigando a mesma a deslocar-se a uma unidade de saúde e ao Hospital de Leiria".

Na sequência desta conduta, em agosto de 2017, a vítima abandonou a residência comum do casal, refere ainda o MP.

O arguido continuou, contudo, a telefonar e enviar "mensagens insistentemente para o telemóvel da vítima, proferindo ameaças de morte".

No âmbito da investigação criminal, coordenada pelos serviços do Ministério Público - Departamento de Investigação e Ação Penal de Porto de Mós, na segunda-feira, o suspeito foi detido pelo Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas da GNR de Leiria.

Após ter sido sujeito a primeiro interrogatório judicial no Juízo Central de Instrução Criminal de Leiria, foi decretada a medida de coação de prisão preventiva.

O juiz entendeu que se verificava "a existência de perigo de continuação de atividade criminosa e de grave perturbação da ordem e tranquilidade pública".