O homem suspeito de regar a mulher com uma «substancia inflamável» e depois lhe ter pegado fogo foi acusado dos crimes homicídio qualificado na forma tentada e de violência doméstica e vai aguardar julgamento em prisão preventiva.

Pedro Ribeiro, 60 anos, desempregado, pegou fogo à mulher, segunda-feira pelas 8 da manhã, depois de «mais uma» discussão e de «mais um episódio» de violência doméstica, no qual também ficou ferida uma filha do casal, já maior, ao socorrer a progenitora.

A vítima, de 50 anos e funcionário do Hospital de Braga, encontra-se internada na Unidade de Queimados do Hospital da Prelada, no Porto, em «estado crítico mas estável», confirmou à Lusa fonte naquele hospital.

A filha já teve alta hospitalar, depois de ter sido assistida no Hospital de Braga.

Segundo a PJ, o arguido «terá agido num quadro de acentuada violência doméstica, consubstanciado em ameaças e agressões físicas reiteradas, infligidas ao longo dos últimos anos, que culminaram, no dia de ontem, numa tentativa de homicídio».

Vizinhos do casal confirmaram à Lusa que «as discussões eram frequentes e que as idas da PSP à habitação também».