Um homem matou, esta segunda-feira de manhã, a mulher com um tiro de "pistola de baixo calibre" e fez depois explodir o corpo. O crime aconteceu em Sacavém, cerca das 09:30. 

“Houve disparos de uma pistola. A vítima terá sido alvejada pelo agressor e depois o agressor terá feito detonar um engenho explosivo”, adianta o comissário Rui Costa, da PSP, sublinhando que "não se sabe se um engenho explosivo fabricado pelo próprio, se um engenho militar, ou outro".


A PSP confirma que se trata, "à partida", de um caso de "violência doméstica". A TVI apurou, no local, que o homem teria cerca de 60 anos e a mulher cerca de 45. Depois de matar a mulher, o homem disparou sobre si próprio e acabou por morrer algum tempo depois.

O crime aconteceu no parque da Rodoviária de Lisboa, na Rua Miguel Bombarda, em Sacavém. A mulher seria empregada de limpeza da Rodoviária de Lisboa, de acordo com testemunhas ouvidas no local. Mas a PSP não confirma a informação.

"Ouvi quatro ou cinco tiros. Entretanto ouvi uma explosão muito grande e foi quando corri para ver o que se passava. Estava a senhora já morta, em cima do capô de um carro e o homem ainda mexia, mas já não tinha muita saúde", relata à TVI um empregado do restaurante próximo do local onde aconteceu o crime, adiantando que o casal "passava ali todos os dias". 


Há equipas de inativação de explosivos da PSP no interior do parque e junto ao carro onde o crime aconteceu, para tentar perceber se o artefacto em causa detonou completamente ou se o homem ainda teria mais explosivos que possam rebentar e constituir perigo para os transeuntes. 

A PSP, a Polícia Judiciária, o INEM e os bombeiros estão no local e não avançam, para já, mais informações.