A GNR desenvolveu diligências de investigação relativas ao detido e, no inquérito de violência doméstica que realizou, indica que o denunciado é suspeito de “exercer de forma reiterada violência física, psicológica e ameaças de morte à sua mulher”.


“No próprio dia em que lhe foi lida a sentença (maio de 2015), o arguido, no pátio exterior da residência da ofendida, em tom exaltado e sério, dirigiu-lhe palavras insultuosas que lhe ofenderam a honra e reputação pessoal”, lê-se na nota de imprensa da GNR.