Um homem de 39 anos foi detido pela Polícia Judiciária por, alegadamente, ter tentado violar uma enfermeira, no parque de estacionamento do Hospital Garcia de Orta, em Almada. Ao que o TVI apurou, o detido era já conhecido das autoridades e tem já antecedentes criminais pelo mesmo tipo de crime.

Segundo a PJ, na noite do dia 11 de julho, o suspeito “esperou e perseguiu a vítima no parque de estacionamento do hospital, obrigando-a a entrar na sua própria viatura, através de recurso à força física e a ameaças graves”.

O agressor terá tentado violar a vítima, chegando à prática de atos sexuais de relevo, mas a “oposição” desta e “os incessantes pedidos de socorro” levaram à “intervenção de um utente do hospital”.

Segundo o que a TVI apurou, o homem ameaçou "cortar" a vítima e "agarrou-a pelo pescoço". Ainda assim, a vítima conseguiu gritar e o utente que acabou por se aproximar do veículo levou a que o agressor fugisse. Simultaneamente, a mulher conseguiu libertar-se.

O detido estava atualmente a trabalhar como marceneiro. Segundo fonte policial, o homem estava já referenciado quer pela PSP, quer pela Polícia Judiciária. Tinha já sido detido por conduzir embriagado e era "conhecido" por tentar agarrar mulheres e tentar "espreitar em casas-de-banho". O agressor teve também um processo mais grave, "idêntico" ao atual, na Polícia Judiciária que seguiu para acusação. 

O homem é descrito como tendo um perfil "compulsivo, que não se consegue controlar".

O caso foi denunciado pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, que se queixou da falta de segurança no local. O Hospital Garcia de Orta anunciou então que iria ser criado um grupo de trabalho para avaliar o dispositivo de segurança.

O detido está a ser ouvido no tribunal, para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.