O mau tempo obrigou ao corte de várias estradas nos distritos de Vila Real, Porto e Aveiro, nomeadamentes nas zonas de Aveção do Cabo e de Parada de Cunhos (Vila Real), Vilarinho de Cotas (Alijó), Trofa (Porto) e Águeda (Aveiro).

O tenente-coronel José Faria, do comando distrital da GNR de Vila Real, referiu que alguns desmoronamentos levaram ao corte de três estradas no distrito transmontano, que esta segunda-feira está a ser afetado por uma forte precipitação.

De acordo com o oficial, com o trânsito cortado está a Estrada Nacional (EN) 304, que liga a Campeã (Vila Real) a Mondim de Basto, na zona de Aveção do Cabo, sendo a alternativa a via que atravessa esta mesma localidade.

Também a Estrada Municipal (EM) 585 foi interrompida nos dois sentidos devido ao deslizamento de terras para a via. A alternativa é a EN 323-3.

Desde esta manhã que a EN2, entre Parada de Cunhos e a Cumieira, está também cortada devido a um desmoronamento para a via, que tem como alternativa a EM 1244 em Pomarelhos, que tem saída para o Itinerário Principal 4 (IP4) em Arrabães.

Segundo José Faria, o mau tempo condicionou a EN 312, na zona de Cerva, Ribeira de Pena, onde a circulação rodoviária se faz de forma alternada.

Para estes locais, foram mobilizados meios da Infraestruturas de Portugal e a proteções civis municipais para a limpeza e desobstrução das vias.

O mau tempo obrigou, também, ao corte do trânsito numa segunda estrada nacional de acesso à Trofa, a EN104, depois de anteriormente ter levado à supressão de circulação noutra rodovia da zona, a EN14, informaram as autoridades locais.

Fonte da GNR da Trofa indicou que as estradas nacionais 14 (Famalicão-Maia) e 104 (Vila do Conde-Santo Tirso) estão cortadas à passagem pelo concelho da Trofa, distrito do Porto, sendo que o tráfego está a ser feito por vias alternativas.

Já os Bombeiros Voluntários da Trofa acudiram a dois alertas de pessoas que ficaram retidas nas inundações.

A primeira ocorrência desta natureza foi registada às 14:45 quando um motociclista "insistiu" em atravessar a rua CEE apesar do alerta de perigo, tendo sido arrastado até conseguir agarrar-se a um objeto que se encontrava na estrada.

A mesma fonte dos bombeiros locais indicou que a vítima, um homem de cerca de 35 anos, foi conduzido ao Centro Hospitalar de Vila Nova de Famalicão em estado de hipotermia, enquanto o veículo continua desaparecido. Estiveram envolvidos no resgate dois veículos e quatro bombeiros.

O trânsito está também condicionado na rua das Indústrias e na rua 16 de Maio.

No distrito de Aveiro, a subida do nível das águas levou ao corte da circulação em três estradas e à derrocada de algumas barreiras devido à chuva intensa, mas sem a dimensão das cheias de outros anos.

Segundo disse à Lusa o vice-presidente da Câmara de Águeda, a situação “é habitual” em períodos de chuva, sendo acompanhada pelos Serviços Municipais de proteção Civil, Bombeiros e GNR.

“O rio subiu devido à chuva forte que se fez sentir nas encostas do Caramulo e temos algumas ruas inundadas, onde isso é frequente”, disse à Lusa Jorge Almeida.


De acordo com o autarca, registaram-se ainda derrocadas de algumas barreiras e de um muro, situações essas que estão a ser resolvidas pela Proteção Civil Municipal que, durante a tarde, procedeu igualmente à remoção de material lenhoso que se encontrava a boiar no Rio.

“Andámos durante a tarde a desimpedir a passagem da água junto à Ponte de Águeda, onde se acumulam detritos florestais e está tudo limpo”, esclareceu.

Tranquilidade é a palavra usada pelo comandante dos Bombeiros de Águeda para descrever a situação, tanto mais que a chuva intensa “parou há algumas horas e a tendência do Rio vai ser de descer o caudal”.

Segundo disse à Lusa, apenas a zona do Sardão, como é frequente, ficou inundada, o que levou ao corte de algumas estradas, como ocorre em situações semelhantes.

“A parte comercial da baixa de Águeda não foi atingida, mas apenas a zona do Sardão e não tivemos nenhum pedido de auxílio por parte de particulares, sendo, até agora, uma cheia perfeitamente normal”, considerou.

O comandante dos Bombeiros esclareceu que, por precaução, será mantido o alerta e foi reforçado o piquete da Corporação com mais homens.