União de Freguesias de Vila Real - Nossa Senhora da Conceição, São Pedro e São Dinis é a maior freguesia do concelho de Vila Real. Não só em tamanho, mas também na designação. Por isso é que vai iniciar terça-feira uma consulta à população para escolher uma nova e eliminar parte dos 84 carateres que compõem atualmente o nome.

«O atual nome oficial desta freguesia tem 84 carateres e não há formulário nenhum oficial ou não sendo oficial que contenha espaço para pôr este nome», disse hoje à agência Lusa o presidente da autarquia, Francisco Rocha.

Esta freguesia resultou da reorganização administrativa que juntou as três juntas da cidade, onde estão recenseadas cerca de 17 mil pessoas. «O processo de reorganização não levou em linha de conta este caráter prático do nome das freguesias», sustentou o autarca.

Para mudar a sua designação, a União de Freguesias decidiu envolver os cidadãos eleitores e realizar uma consulta que arranca na terça-feira e que vai prolongar-se até 15 de dezembro. 

A escolha vai recair sobre dois nomes previamente escolhidos: Vila Real ou Dom Dinis. O nome Freguesia de Vila Real foi escolhido pelo contexto territorial, já que as três antigas freguesias correspondem à cidade de Vila Real. A hipótese de Dom Dinis pretende servir de homenagem àquele que é considerado o fundador da cidade.

Os dois nomes que vão a votos foram escolhidos por uma comissão especializada com peritos e pessoas ligadas à história local e integrou ainda representantes dos cinco partidos políticos que concorreram às últimas eleições na freguesia.

Francisco Rocha explicou que esta votação irá decorrer de «forma simples e informal». Nos edifícios da Junta será colocada uma urna e entregue um boletim aos eleitores para efetuaram a sua escolha.

O presidente da União de Freguesias afirmou que, depois de encontrado o nome preferido dos cidadãos, ainda se segue um «processo legislativo que não é nada fácil». Isto porque a designação terá de ser aprovada pela Assembleia da Freguesia, depois seguir para a Câmara Municipal e, posteriormente, ser remetida à Assembleia da República, para que, aí, «seja oficialmente decretado o novo nome da freguesia».

«O processo, se tudo correr bem, poderá estar concluído até finais de abril» de 2015, salientou.