O caçador suspeito de ter baleado mortalmente uma mulher em Leirós, Vila Real, ficou sujeito a apresentações diárias no posto da GNR, disse à Lusa fonte do tribunal.

O homem, um pedreiro de 57 anos, foi ouvido esta sexta-feira no Tribunal de Vila Real, depois de ter sido detido pela Polícia Judiciária na quinta-feira.

O suspeito está indiciado como sendo o autor do tiro que matou uma mulher de 28 anos, quando esta caminhava na Estrada Nacional 15 (EN15), junto à aldeia de Leirós, no concelho de Vila Real.

Segundo a fonte do tribunal, o homem é suspeito da autoria de um crime de homicídio por negligência grosseira, um crime de omissão de auxílio e um crime contra a preservação da fauna e das espécies cinegéticas.

Para além de ter sido sujeito a termo de identidade e residência, o caçador terá também que se apresentar diariamente no posto da GNR de Vila Real.

De acordo com a PJ, os factos ocorreram quando o suspeito, no exercício de caça furtiva ao javali, terá efetuado um disparo com uma arma caçadeira que veio a atingir a mulher.

O incidente ocorreu cerca das 22:00 de quarta-feira.

A vítima foi atingida na zona do pescoço e acabou por morrer já na unidade de Vila Real do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Durante o dia de quinta-feira, a PJ esteve no local a recolher indícios e ouviu ainda vários caçadores da zona.

A vítima caminhava numa zona pouco iluminada e isolada, na EN15, com uma amiga quando foi atingida. A amiga, de 43 anos, ficou em estado de choque.