Notícia atualizada às 19:57

Um juiz de instrução criminal decretou a prisão preventiva para os três alegados autores do incêndio que destruiu o armazém e a loja de mobiliário da Conforama de Gaia, a 12 de fevereiro, disse fonte ligada à investigação.

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou a detenção de três jovens, com idades entre 20 e 23 anos, por presumível autoria do incêndio que destruiu o armazém e a loja de mobiliário da Conforama de Gaia, em 12 de fevereiro.

Em comunicado, a Diretoria do Norte da PJ explica que os suspeitos entraram no estabelecimento comercial «através de escalamento e arrombamento», levaram alguns artigos e, de seguida, recorreram a um isqueiro para atear fogo a artigos de fácil combustão como sofás e colchões.

Os suspeitos, que atuaram «num quadro furtivo e de vandalismo», dirigiram-se ao local num veículo automóvel furtado, concluiu a investigação que a PJ desenvolveu em articulação com a PSP.

A loja e armazém de móveis da Conforama na freguesia da Afurada, Vila Nova de Gaia, foram totalmente destruídos pelo incêndio que deflagrou nas suas instalações cerca das 05:30 de 12 de fevereiro.

Fonte da PJ admitiu que os detidos, sem ocupação profissional, deverão ser levado ainda esta sexta-feira a tribunal para fixação de medidas de coação.