Um incêndio  deflagrou esta madrugada numa fábrica de briquetes em Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, e está já em fase de rescaldo desde as 07:00, disse à agência Lusa uma fonte dos bombeiros dos Carvalhos.

«O incêndio ainda não está completamente extinto. Estamos a acabar o rescaldo, a fase de ventilação. Só ficará extinto quando acabarmos tudo e desmobilizarmos», disse João Silva, adjunto do comandante dos Bombeiros Voluntários dos Carvalhos, Porto.

O incêndio, que inicialmente foi classificado como sendo de grandes proporções, deflagrou às 05:15 de hoje na fábrica Briquetes Raro (de madeira ecológica) na Rua dos Missionários Claretianos, em Perosinho, Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, mas não causou vítimas.

Em declarações à Lusa, o adjunto do comandante dos Bombeiros Voluntários dos Carvalhos disse que às 07:30 já não havia focos de incêndio.

«Já não há focos de incêndio, apenas pequenas coisas. Como isto é serrim, está acumulado nas vigas de aço da fábrica e nós [bombeiros] estamos a tirar esse focos de serrim, que podem vir a dar origem a focos de incêndio», precisou João Silva.

O adjunto dos bombeiros dos Carvalhos adiantou também que a fábrica não ficou destruída, tendo-se registado apenas pequenos danos.

«Ainda não sabemos qual a origem do incêndio, mas sabe-se que está localizada numa máquina de moer serrim, que estava toda a noite a trabalhar, e o motor poderá ter aquecido e provocado o fogo», disse.

João Silva disse ainda que o incêndio não se propagou a edifícios vizinhos, estando confinado apenas á fábrica.

«Não há vítimas a lamentar, apenas pequenos danos na estrutura de chapa. Os trabalhos vão demorar mais uma hora em princípio», disse

No local encontram-se 26 elementos dos Bombeiros Voluntários dos Carvalhos e dos Sapadores de Gaia. E nove veículos.