A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) informou, esta terça-feira, que são já 264 os casos de infeção de legionella registados nesta região do país, estando 40 destas pessoas a receber tratamento em Unidades de Cuidados Intensivos de diversos hospitais da região de Lisboa.
 
Segundo o comunicado enviado às redações, deste total 48 cidadãos foram acompanhados no Hospital de Vila Franca de Xira, 76 no Centro Hospitalar Lisboa Central, 73 no Centro Hospitalar Lisboa Norte e 67 foram distribuídos por outros Hospitais da Região de Lisboa.

Legionella: chuva e temperatura influenciam bactéria
 
A ARSLVT informa que o Plano de Contingência está a permitir uma resposta adequada aos casos que vão surgindo, não tendo aumentado o número de vítimas mortais, que continua em cinco óbitos confirmados (quatro no Hospital de Vila Franca de Xira, um no Centro Hospitalar Lisboa Norte).
 
A entidade elogia, ainda, a capacidade técnica de resposta dos hospitais envolvidos no tratamento dos doentes infetados com legionella, e garante que o funcionamento normal destas unidades de saúde não está a ser afetada pelo invulgar surto.

O Ministro o Ambiente, Jorge Moreira da Silva, anunciou, esta terça-feira, que o foco de legionella está relacionado com as torres de refrigeração da empresa Adubos de Portugal, no Forte da Casa, Vila Franca de Xira. A empresa está a ser alvo de inspeção extraordinária.