Mais 19 alunos foram encaminhados, esta quarta-feira, para o hospital devido a um surto de urticária na Escola Secundário José Régio, em Vila do Conde, elevando para 42 o número de jovens que nos últimos dois dias apresentaram sintomas de reação alérgica

O surto, que começou a manifestar-se na terça-feira, terá origem num fungo presente nas árvores, dentro e fora do recinto escolar, que já começaram a ser tratadas.

Julieta Lopes, subdiretora do estabelecimento, afirmou à Agência Lusa que que não há «motivos para alarmismos» e que «já estão a ser tomadas as medidas para descobrir a causa e minorar os efeitos».

A responsável adiantou que a Delegação de Saúde, Proteção Civil, Bombeiros, Associação de Pais e a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares «estão a trabalhar em conjunto para resolver o problema».

«Estamos a tratar da situação de forma diligente. Os alunos que sentem comichão são encaminhados para o hospital mas têm regressado à escola no dia a seguir», acrescentou Julieta Lopes

A subdirectora assegurou que as aulas vão continuar a decorrer com normalidade, enquanto se procede aos trabalhos de limpeza nos jardins e à poda das árvores, garantindo que a única alteração se prende com o acesso à escola, que está a ser feito por um portão lateral para evitar a passagem por uma zona com maior densidade arbórea.

Hugo Fernandes, um responsável pela empresa de jardinagem que atua na escola, considerou que a inconstância das condições climatéricas é a causa provável no aparecimento dos fungos nas árvores

«As folhas estão a cair, como é normal nesta época do ano, e com a chuva e o calor dá-se uma reação em que o fungo liberta pólen que pode provocar alergias», explicou.