O tribunal de Vila do Conde condenou um homem a 24 anos de prisão por crimes de violação em série, roubo e violação de domicílio, anunciou esta quarta-feira a Procuradoria-Geral Distrital do Porto.

«Em cúmulo jurídico, foi o arguido condenado na pena única de 24 anos de prisão», adianta a PGD na sua página na internet, referindo que o acórdão data do dia 2 deste mês.

O arguido foi condenado por seis crimes de violação, um crime de violação na forma tentada, um crime de roubo e um crime de violação de domicílio.

Os factos remontam a 2011, 2012 e 2103, tendo sido praticados em Famalicão, na Maia e em Esposende, tendo um dos crimes ocorrido na ciclovia que liga Famalicão à Póvoa de Varzim.

A PGD refere que o arguido «abordou mulheres, forçou-as a manter consigo trato sexual em seis das situações», não tendo conseguido concretizar uma das violações, «porém por razões alheias à sua vontade».

O Tribunal deu como provado que o homem «atuou relativamente a vítimas cujas rotinas conhecia, aproveitando situações em que sabia que estas se encontravam sozinhas, atuando em cinco casos de madrugada ou às primeiras horas da manhã».

Uma das vítimas tinha 82 anos e foi violada em sua casa, onde vivia sozinha, sendo que outra mulher foi vítima do arguido «em duas datas distintas, ambas às primeiras horas da manhã, quando esta iniciava ou dava início ao giro diário exigido pela sua profissão», escreve a PGD.