Dezenas de guardas prisionais estão à porta do estabelecimento prisional da Carregueira, em Sintra.

Contestam a nova carga laboral que, alegam, os obriga a fazer 18 horas seguidas e denunciam falta de condições de trabalho e de segurança.

As denúncias não se ficam por aqui: dizem que há colegas que estão sequestrados dentro do edifício.

Para poupar dinheiro, estes homens contam que foram ainda proibidos de contactar com o exterior quando estão de serviço.

Também no exterior esteve, por momentos, a diretora da prisão com a TVI tentou falar, mas sem sucesso.