A PSP do Porto anunciou nesta quinta-feira a prisão preventiva de um homem por violência doméstica, depois de uma operação em que foram detidas 20 pessoas, seis das quais por condução sob o efeito do álcool.

Foi na quarta-feira, na rua de S. Dinis, no Porto, que, na sequência de uma denúncia, agentes do Gabinete de Atendimento e Informação a Vítimas (GAIV) e da Divisão de Investigação Criminal do Comando Metropolitano da PSP detiveram um gerente comercial de 49 anos por violência doméstica, descreve a PSP em comunicado enviado à Lusa.

Depois de se deslocarem ao local onde «estaria a ocorrer um episódio de violência doméstica», a polícia verificou que o homem tinha agredido a companheira de 34 anos, que precisou de ficar internada numa unidade hospitalar.

O comunicado da PSP acrescenta que o detido foi presente junto das Autoridades Judiciárias, que lhe aplicaram a medida de coação de prisão preventiva.

O Comando da PSP do Porto alerta que desde março tem em funcionamento 24 horas por dia, todos os dias, o GAIV, «para onde são encaminhadas todas as vítimas de violência doméstica do concelho do Porto para efeitos de atendimento personalizado e especializado por equipas policiais multidisciplinares».

Com este gabinete, diz a PSP, «tem sido possível aplicar medidas processuais urgentes ao agressor e medidas de proteção às vítimas, em estreita e imediata articulação com as autoridades judiciárias e com as Instituições de Apoio à Vítima».

Na ação, levada a cabo pela PSP entre as 07:00 de quarta-feira e as 07:00 de hoje, foram ainda detidas cinco pessoas por conduzirem sem carta, quatro por mandado, duas por furto e uma por tráfico de droga.

A venda de estupefaciente foi detetada na quarta-feira, às 22:50, no bairro da Pasteleira, no Porto, onde a PSP deteve um desempregado de 26 anos que intercetou na posse de «cocaína suficiente para 27 doses individuais», refere aquela força policial no comunicado.

A PSP apreendeu também, num estabelecimento de restauração e bebidas, de Oliveira do Douro em Gaia, uma máquina de jogo de fortuna ou azar que identificou como sendo uma «roleta».

Da ação de fiscalização realizada pelas 11:30 resultou ainda a apreensão de «86 bilhetes associados ao ilícito em questão» e a identificação do proprietário do estabelecimento, refere a PSP.