A Polícia Judiciária anunciou, esta quarta-feira, a apreensão de 800 quilos de haxixe e a detenção de três pessoas suspeitas de tráfico de droga, numa operação realizada na zona de Tavira, no Algarve.

«Durante a tarde de ontem [terça-feira], na zona de Tavira, os suspeitos, com idades compreendidas entre os 37 e os 40 anos de idade, retiraram da água e colocaram em cima de um reboque uma embarcação semirrígida e transportavam-na para um armazém nas imediações, quando foram intercetados», adiantou a Polícia Judiciária (PJ).

A PJ precisou que, depois de examinar a embarcação, «constatou-se que a mesma continha no interior do casco cerca de 800 kg de haxixe», tendo todo o produto estupefaciente sido apreendido, assim como «duas viaturas todo o terreno, a embarcação e atrelado, e ainda oitocentos euros, diversos telemóveis, um telefone satélite e vários aparelhos GPS».

PJ prevê mais detenções em Portugal e Espanha

Os três suspeitos de tráfico de droga detidos em Tavira pertencem a uma organização que opera em Portugal e Espanha, afirmou hoje um responsável da Polícia Judiciária, estimando que venham a registar-se mais detenções em ambos os países.

Os suspeitos foram surpreendidos em flagrante pela PJ, na terça-feira, quando se preparavam para transportar para um armazém uma embarcação, já colocada em cima de um reboque, com 800 quilos de haxixe dissimulados no interior do casco, droga ali introduzida através de um alçapão, que estava selado com silicone.

Segundo o diretor da unidade territorial do Sul da PJ, Luís Mota Carmo, a organização usa Portugal como porta de entrada da droga - que, neste caso, deveria valer aproximadamente um milhão de euros -, para depois a introduzir no mercado espanhol, onde seria vendida por grosso, e no resto da Europa.

A investigação ao grupo já durava há cerca de um ano, acrescentou Luís Mota Carmo, sublinhando que o líder da organização já cumpriu pena por tráfico em Espanha, o que «acentua o caráter transnacional da organização», que opera no sotavento (Este) algarvio e na província espanhola de Huelva.

Os detidos, todos de nacionalidade portuguesa, preparavam-se para levar o semirrígido - de matrícula espanhola e que estava atrelada a um jipe -, para um armazém na zona de Tavira, onde podiam «calmamente tirar a droga do interior do casco e transportá-la por via terrestre para Espanha», concluiu.

Os três detidos vão ainda ser submetidos a primeiro interrogatório judicial.