Atualizado às 18:21

O comandante dos Bombeiros de Celorico de Basto disse à Lusa que o acidente de trabalho que hoje feriu sete trabalhadores terá sido causado pelo excesso de peso numa estrutura metálica que colapsou.

«Sete pessoas, mais as garrafas de gás, mais um porta-paletes, tudo isto contribuiu para que a estrutura colapsasse», afirmou Marinho Gomes.

O acidente ocorreu cerca das 13:40 no pavilhão de uma antiga superfície comercial de Celorico de Basto que está a ser adaptada para ali funcionar um supermercado da cadeia «Pingo Doce».

O comandante explicou que os trabalhadores caíram de uma altura de cerca de cinco metros quando um passadiço metálico cedeu.

Marinho Gomes disse que a estrutura funciona como saída de emergência para os funcionários da superfície comercial.

A Lusa constatou que, no local do acidente, junto da estrutura metálica, se encontravam seis garrafas de gás destinadas, segundo os bombeiros, às operações de soldadura da zona de frio do pavilhão.

Os sete feridos, três dos quais com alguma gravidade, na avaliação dos meios de socorro, foram transportados para o hospital de Guimarães pelas ambulâncias dos bombeiros de Celorico de Basto e de Mondim de Basto.

Empresa abre inquérito para apurar causas da queda

O responsável pela obra em Celorico de Basto, distrito de Braga, onde hoje ficaram feridos sete trabalhadores após uma queda disse à Lusa que foi aberto um inquérito para serem apuradas as causas do colapso de uma estrutura metálica.

«Estamos à espera de um diagnóstico mais aprofundado», disse Paulo Marques.

O responsável pala fiscalização acrescentou à Lusa que as vítimas não se encontravam a trabalhar na estrutura que caiu, alegando que iam a passar.

«Era uma passagem de uma porta para outra zona exterior. A estrutura ruiu quando passavam sete pessoas», declarou.

Frisou também que aquela estrutura não fazia parte da obra, já existindo antes dos atuais trabalhos serem iniciados.