Já se conhecem as circunstâncias em que foi detido o homem condenado por três homícidios e que estava fugido à justiça, há uma semana.

Américo Piçarreira foi detido, no sábado, pelas 18:30, numa área florestal próxima da terra dos avós, na aldeia de Fonte Boa, em Vila de Rei.

A detenção foi feita ao fim da tarde e o homicida ainda tentou fugir, mas a operação da GNR tinha mais de uma dezena de homens que levaram Piçareira para o quartel da Sertã.

O recluso deverá ser transportado para o Estabelecimento Prisional de Vale de Judeus ainda esta noite, onde se encontrava a cumprir pena. Teve direito a uma saída precária de três dias, mas no dia marcado não regressou.

O triplo homicida de Mouriscas, que andava foragido desde o dia 25 de julho.

«Ia normalmente na via pública e quando foi reconhecido não ofereceu resistência», descreveu à agência Lusa, o oficial de Relações Públicas do Comando Territorial da GNR de Castelo Branco.

«Não há conhecimento» que durante estes dias tenha cometido algum crime. Tinha com ele uma faca, que as autoridades só detetaram depois de o revistarem.

Esta não foi a primeira vez que Américo Piçarreira fugiu.

Em 2005, Américo Piçarreira evadiu-se da cadeia, também na sequência de uma saída precária. Andou a monte durante mais de um mês e foi capturado depois de ter esfaqueado um homem, a quem tentou assaltar.

Antes disso, Américo Piçarreira já tinha cometido vários crimes.

Aos 16 anos era suspeito de dezenas de assaltos. Aos 22 anos, em 1994, cometeu o crime que o tornaria conhecido como «triplo homicida de Mouriscas».

Durante um assalto a uma casa, matou uma mulher, o filho desta e uma criança de nove anos que presenciou o crime.

O Comando Territorial da GNR explicou ainda à Lusa que Américo Piçarreira será agora encaminhado ao Estabelecimento Prisional de Vale de Judeus.