[notícia atualizada às 14:20]

As buscas dos cinco jovens desaparecidos domingo na Praia do Meco foram retomadas esta segunda-feira pelas 07:30 por mar e por terra, sem o recurso aos meios aéreos, segundo a Autoridade Nacional da Proteção Civil.

Cerca de 50 efetivos, da Polícia Marítima e dos Bombeiros de Sesimbra, estão envolvidos nas operações de busca, além da tripulação da fragata Bartolomeu Dias e da lancha de fiscalização Cisne, que foram alargadas em termos de milhas, passando de três para cinco milhas de distância da costa e até ao Cabo Espichel, segundo o comandante do Porto de Setúbal.

«Face à informação de deriva que fomos tendo, foi reajustado o setor de busca, que foi prolongado, no sentido sul, até muito perto do Cabo Espichel [entre a Lagoa de Albufeira e a praia dos Lagosteiros]», disse Lopes da Costa.

Domingo, com o cair da noite, as buscas com meios aéreos e marítimos foram interrompidas, mas continuaram por terra, mantendo-se no terreno equipas de patrulha que envolvem uma dezena de homens e veículos todo-o-terreno e todo o apoio logístico necessário.

Um grupo de sete jovens universitários foi apanhado por uma onda na Praia do Meco na madrugada de domingo. Um dos jovens conseguiu salvar-se e dar o alarme, outro foi retirado do mar já sem vida. Quatro raparigas e um rapaz continuam desaparecidos.

Os jovens eram alunos da Universidade Lusófona e estavam a passar o fim de semana numa casa arrendada na zona de Alfarim, próximo da praia do Moinho de Baixo, local do acidente.

Segundo contou o sobrevivente às autoridades, o grupo estava sentado à beira-mar quando foi surpreendido por uma onda. Este jovem conseguiu sair do mar sozinho e ligou do seu telemóvel para o 112.

Junto à praia do Meco estão também instaladas duas tendas da Proteção Civil, onde está a ser assegurado apoio psicológico aos familiares e amigos dos jovens que terão sido arrastados por uma onda na praia do Meco, durante a madrugada de domingo.

A Universidade Lusófona decidiu, entretanto, decretar três dias de luto e disponibilizar alguns docentes que lecionam na área da psicologia para darem apoio aos familiares dos alunos que foram vítimas do acidente ocorrido na praia do Meco.