Há mais uma polémica por um caso de uma praxe académica. Mas desta vez a vítima é um professor da Universidade do Minho. Um docente de psicologia terá tentado impedir uma praxe no interior da Universidade e acabou ele próprio por ser praxado, avança o «Diário de Notícias».

O professor fez a denúncia através de um email enviado a outros docentes da Universidade. No documento escreve que, ao aproximar-se do grupo, disse que tais atos não eram permitidos na Universidade.

Terá sido depois agarrado por um aluno, manietado e insultado, frente a várias pessoas. Os alunos terão depois feito perguntas de cariz sexual. Quando foi libertado, chamou o segurança que disse nada poder fazer. A Universidade do Minho já abriu um processo de averiguações.