Mais do que os cortes, o problema para alguns é a burocracia. Maria Joaquina chegou aos 65 anos e, depois de meter os papéis para a reforma, a segurança social apresentou-lhe uma divida que, ao que tudo indica, nem sequer existe.

Entre 2002 a 2004 fez alguns trabalhos para uma distribuidora de livros e recebia cerca de 150 euros por mês. A Segurança Social diz agora que devia ter descontado cerca de 100 euros por mês.

A dívida ultrapassa os três mil euros que serão descontados todos os meses no valor da pensão que é de 380 euros.

Contas feitas, Maria Joaquina só deverá começar a receber a pensão de reforma lá para meados de 2014.

A TVI solicitou esclarecimentos aos serviços da Segurança Social que até ao momento não responderam.