Samuel Simão corre o risco de ser deportado para Angola porque não consegue renovar o passaporte. É uma bola de neve: Samuel precisa de uma certidão de nascimento para renovar o passaporte porque só com este válido pode ser passado o visto de residência em Portugal.



O homem de 27 anos é, teoricamente, um imigrante angolano, mas, na prática, Samuel sente-se um cidadão português. Vive em Setúbal desde os três anos, aqui estudou e criou laços de amizade e cultura. Criado por uma ama entretanto falecida, há muito que não sabe do paradeiro do pai. Angola está literalmente muito longe deste jovem rapper com um curso de fisioterapia. Mas, corre agora o risco de ter que ir viver para lá porque ninguém consegue encontrar a sua certidão de nascimento.

Durante 20 anos, Samuel Simão desconhecia este problema, já que a renovação do passaporte foi sempre feita no prazo, mas, desta vez, deixou-o caducar e, agora, para tirar um novo precisa de apresentar a certidão de nascimento.

Nem o advogado conseguiu até ao momento desbloquear a situação deste angolano agora clandestino em Portugal, sujeito a perder o direito de viver aqui, embora tenha o registo criminal limpo. Já lá vão três anos que vive neste limbo. O Serviço de Estrangeiros voltou a prorrogar-lhe o prazo para apresentação do documento.