A Polícia Judiciária fez, na madrugada desta sexta-feira, uma reconstituição da tragédia de 15 de dezembro na praia do Meco.

Durante duas horas, dez pessoas reconstruíram os acontecimentos da noite em que morreram seis jovens, segundo a versão do sobrevivente.

João Gouveia esteve, aliás, no areal, junto com os inspetores da PJ. Já esta sexta-feira à tarde, confrontado pela CMTV, o sobrevivente disse que «neste momento» só fala «com as autoridades competentes». «A seu tempo, falaremos», prometeu.

A reconstituição, que começou pouco depois da meia-noite e foi acompanhada pela CMTV, foi feita numa noite agreste, mas ainda assim mais calma do que a de 15 de dezembro. Foram utilizadas duas viaturas, pás e lanternas.

Durante esta madrugada, as ondas não conseguiram atingir o tamanho das registadas quando morreram seis jovens na praia do Meco.

Os inspetores estiveram também na casa alugada pelos jovens e fizeram a reconstituição do caminho que fizeram até à praia.

Segundo a CMTV, sete grandes pedras ficaram na praia até esta manhã, simbolizando provavelmente o local onde os sete estudantes se encontravam.