Os pais das vítimas da tragédia do Meco começaram hoje ser ouvidos pelo procurador coordenador do Ministério Público de Almada. O procurador convocou os familiares para serem ouvidos individualmente e as audições vão prolongar-se durante esta semana.

Os pais já tinham prestado declarações à Policia Judiciária no âmbito do inquérito às mortes de 15 de dezembro de 2013, mas agora vão estar perante o titular do processo.

Apesar do caso permanecer sujeito ao segredo de justiça, o mais provável é que, nesta fase, o procurador dê conhecimento das diligências feitas até ao momento.

Recorde-se que os pais se constituíram assistentes no processo. Na prática, isso significa que são formalmente auxiliares do MP e, por isso, podem apresentar requerimentos de provas ou podem sugerir diligências. Algo que, aliás, têm feito ao longo dos últimos meses. Ainda recentemente, recorda a jornalista da TVI Cláudia Rosenbusch, entregaram um pedido para audição de várias testemunhas.

Para hoje está marcada a audição dos pais de Pedro Tito Negrão e de Tiago Campos. Para amanhã foram convocados os pais das quatro raparigas que também perderam vida na tragédia.