O presidente da Câmara de Machico disse hoje que prosseguem as limpezas das estradas municipais de acessos a populações isoladas no Porto da Cruz e continua o trabalho para fornecer água e luz à população afetada pelo temporal.

«Neste momento o tempo está bom no Porto da Cruz [concelho de Machico] e prosseguem os trabalhos de limpeza, mas agora estou preocupado com a cidade de Machico, porque choveu de forma intensa, a ribeira tem um caudal com muita água e pode haver problemas nas zonas altas com deslizamentos de terras», disse hoje de manhã Ricardo Franco à agência Lusa.

Sobre a situação na freguesia do Porto da Cruz, na costa norte da Madeira, afetada na madrugada de sexta-feira por fortes chuvas, com volume «comparável» ao registado no 20 de fevereiro de 2010, e que, entre outros prejuízos, danificou cinco moradias, viaturas, as redes de água, esgotos e eletricidade, além das estradas, o autarca assegurou que «prosseguem os trabalhos de forma intensa».

«É um olho no trabalho e outro na encosta», declarou, referindo o perigo constante de derrocadas para aqueles que estão a intervir ao nível da limpeza das vias municipais, reparação das rede de água e luz.

O autarca referiu que «prosseguem os trabalhos de limpeza das vias municipais para acesso das populações que ainda estão isoladas e é impossível a circulação automóvel», instando a que as pessoas, por motivos de segurança, devido ao perigo de deslizamentos de terras, «permaneçam em casa».

«Estes são os casos das ligações da "Ribeira tem-te não caias" e da Cruz da Guarda-Maiata, onde é preciso libertar um grande volume de terra e não foi possível concluir [o trabalho] sexta-feira», disse.

Quanto à Via Expresso, a principal ligação àquela localidade, o responsável adiantou que «já é possível circular, mas o trânsito está muito condicionado».

Em relação ao abastecimento de água, Ricardo Franco mencionou que a «rede ficou muito danificada, existem muitas condutas afetadas, são muitos metros, sendo necessário recorrer a estruturas mais antigas».

«Será mais difícil de resolver que o fornecimento de energia, mas deve ficar parcialmente operacional hoje», apontou, sublinhando que a população está a ser abastecida através de autotanques.

Relativamente ao abastecimento de energia, Ricardo Franco salientou que também «caíram muitos postes e é um trabalho com algum grau de perigo para recolocá-los nas encostas devido à eventualidade de derrocadas», apontando que esta situação também deverá ficar resolvida hoje.

A freguesia do Porto da Cruz e Santo da Serra, no concelho de Machico, e localidade do município de Santa Cruz foram as zonas mais afetadas pela forte chuva que caiu na madrugada de sexta-feira.

Segundo o Governo Regional da Madeira, o mau tempo provocou cinco feridos ligeiros, avultados prejuízos materiais, danificou seis habitações, deslizamentos de terras, inundações, galgamento de leitos de ribeiras, encerramentos de estradas (Via Expresso, regionais e municipais) e destruição de propriedades agrícolas.

Já o vice-presidente do Serviço Regional de Proteção Civil da Madeira disse que todo o dispositivo está no terreno para repor a normalidade face aos prejuízos causados pela chuva na madrugada de sexta-feira, mas os trabalhos vão ser «morosos».

Pedro Barbosa referiu ainda que «continua a chover» nesta zona da ilha da Madeira, mas a quantidade que caiu durante noite «não tem comparação com a da madrugada de sexta-feira e foi aceitável».