A Polícia Judiciária (PJ) deteve um médico por suspeitas de falsificação de receituário, indevidamente comparticipado, e pela emissão de atestados com falsas declarações clínicas, informou esta sexta-feira a PJ.

Segundo a PJ, por estas condutas eram exigidas pelo médico contrapartidas em dinheiro, «por vezes bastante elevadas». Em causa estarão crimes relacionados com falsificação de atestado médico, corrupção e burla ao Estado.

Juntamente com o médico, detido terça-feira e que ficou em prisão preventiva após primeiro interrogatório judicial, foram constituídos mais seis arguidos e apreendida diversa documentação, receituário médico e material informático.

A operação, desencadeada na zona da grande Lisboa, teve a participação da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ, sendo a investigação dirigida pelo Ministério Público (Departamento Central de Investigação e Ação Penal).