Notícia atualizada às 19:20

O presumível homicida de Alexandra Neno, em Sacavém, e de Diogo Ferreira, em Oeiras, em 2008, entregou-se nesta quinta-feira à PSP, revelou a Polícia Judiciária (PJ). À altura dos crimes, era segurança privado.

Paulo Rebelo, da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo da Polícia Judiciária, disse em conferência de imprensa, na sede da corporação, que o homicida, de 35 anos, «contactou o 112 durante a manhã para confessar a prática» dos quatro crimes, dois de homicídio, um de detenção de arma proibida e outro de danos.

A Polícia Judiciária anunciara esta tarde a detenção de um homem suspeito dos homicídios de Diogo Ferreira e Alexandra Neno, em 2008.

«O Comando Metropolitano de Lisboa, através da Divisão Policial de Loures, hoje pelas 8H10, na Bobadela - Loures, procedeu à interceção de um homem de 35 anos, de idade, por suspeita da prática de 2 homicídios. O suspeito contactou a PSP, informando que seria o autor de dois homicídios ocorridos em 2008 e que se queria entregar voluntariamente às autoridades», informaram as autoridades em comunicado.

Recorde os crimes

No comunicado enviado às redações, a PSP informou que o homem «tinha na sua posse uma arma de fogo 6,35mm e 10 munições do mesmo calibre, tendo afirmado que foi com aquela arma que teria praticado os dois homicídios».

O suspeito fez a entrega da arma aos polícias que se deslocaram ao local. «O suspeito foi conduzido à Esquadra da PSP de São João da Talha onde após averiguação sumária se concluiu existir elevado grau de veracidade dos factos narrados».

A PSP contactou com a Polícia Judiciária, «tendo procedido à entrega do suspeito a fim de ser dada continuidade à investigação».

Há «fortes indícios» de este homem, de 35 anos, ter praticado os dois crimes de homicídio consumado, cometidos em 29 de fevereiro e 1 de março de 2008.

«A investigação apurou que o presumível autor terá tentado, no final da tarde de 29 de fevereiro daquele ano, em Sacavém, roubar uma viatura à primeira vítima, uma mulher de 34 anos, vindo a atingi-la mortalmente, através de utilização de uma arma de fogo que possuía, face à sua resistência ao assalto», diz a PJ em comunicado.

«Posteriormente, já no início da madrugada do dia seguinte, o detido dirigiu-se a um centro comercial em Oeiras, onde foi surpreendido por dois jovens que ali se encontravam, enquanto tentava furtar uma viatura no parque de estacionamento. Empunhando a mesma arma, o autor disparou na direção dos jovens, tendo atingido, também mortalmente, um deles e pondo-se, de seguida, em fuga», acrescenta a nota.

A PJ informa ainda que, «pouco tempo depois, e na sequência de um desentendimento por questões de trânsito», junto às Amoreiras, em Lisboa, o detido disparou várias vezes «na direção de outra viatura que se encontrava em circulação, tendo causado apenas danos materiais».

«Foi apreendida a arma de fogo, em situação ilegal, utilizada inequivocamente pelo autor na prática dos crimes», adianta a PJ.

O detido vai ser presente a primeiro interrogatório judicial, no qual será sujeito à aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.