A falta de médicos está a afetar os serviços de veículos de urgência medica. Em 2013, em média, 42 Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER) estiveram 15 dias paradas. A notícia faz manchete no «Correio da Manhã». Mas O jornal assegura que aquela média indica uma redução em relação a 2012 quando se verificou uma paragem de 18 dias.

A paragem das VMER já levou à falta de socorro a vítimas. São casos de que a Ordem dos Médicos teve conhecimento e, por isso, já pediu uma inspeção, referiu o bastonário José Manuel Silva, em entrevista telefónica à TVI.

A falta de médicos é apontada como a causa principal para a inoperacionalidade das VMER. A Ordem dos Médicos não aceita esta explicação e prefere falar de pagamentos abaixo do devido e, por isso, de «desmotivação» do pessoal.

A gestão das viaturas de emergência cabe aos hospitais e, de acordo com o «Correio da Manhã», a fala de médicos ocorre sobretudo de manhã porque o pessoal está em serviço hospitalar.