Os estudantes do Mestrado Integrado de Medicina da Universidade do Algarve estão hoje reunidos em plenário e os alunos em estágio no Hospital de Faro avisaram que estão em greve em solidariedade com a direção demissionária do curso.

Os alunos decidiram não comparecer às atividades letivas e entrar em greve na sequência da demissão em bloco da direção do curso de Medicina, na sexta-feira, que acusa o reitor de colocar em causa a autonomia pedagógica do curso através de uma cláusula prevista no novo protocolo assinado entre a universidade (UAlg) e Hospital de Faro.

«Caso o reitor não recue, todos os médicos de família que lecionam no curso e pelo menos uma grande parte dos médicos do Hospital [de Faro] apresentarão a sua demissão em solidariedade com a posição da direção», disse hoje à Lusa Filipe Gomes, médico interno de Radiologia no Hospital de Faro e assistente convidado no Mestrado Integrado em Medicina (MIM) da UAlg.