[última atualização às 15:20]

As estradas de acesso à cidade de Águeda estão cortadas devido às cheias, confirmou a Proteção Civil (CDOS) de Aveiro à TVI24, e não há ainda previsão de reabertura.

No local decorrem manobras de drenagem das águas, bem como na baixa da cidade, onde nas últimas 24 horas caíram mais de 30 litros de água por metro quadrado.

Apesar de haver moradores retidos em casa, não há pessoas em risco, vítimas ou desalojados a registar.

Segundo o vice-presidente da Câmara de Águeda, Jorge Almeida, a situação é agravada pela obra que está a decorrer na ponte de Águeda, da responsabilidade das Estradas de Portugal.

«Os cilindros metálicos de suporte à construção do novo tabuleiro estão a funcionar como barragem e a dificultar ainda mais. Uma das grandes operações que estamos a fazer permanentemente é retirar o que podemos de detritos que vêm rio abaixo, mas não conseguimos chegar ao meio do rio e acumulam-se ali lenhas, funcionando como um açude, o que aumenta a altura da água a montante, com repercussões na cidade. Se não fossem as obras na ponte, seria uma cheia normal», afirmou, em declarações à Lusa.

A Proteção Civil prevê uma subida de caudal do rio Douro nas próximas horas que pode ir «até um metro acima» do cais fluvial da Régua, onde já foram retirados os bens dos dois estabelecimentos comerciais ali instalados.

Em Coimbra, quatro pessoas foram desalojadas nesta madrugada devido ao perigo de desabamento da habitação em Ceira, junto à Estrada da Beira, por causa do excesso de água.

Ainda em Coimbra, um desabamento de terras a meio da manhã num stand automóvel da periferia, situado no Bairro de São Miguel, em Eiras, arrastou vários veículos sem causar vítimas.

O acesso ao Bom Jesus, em Braga, está condicionado devido a uma derrocada causada pelo mau tempo desta madrugada, que levou ao corte do trânsito em Tenões, na área de acesso aos elevadores do santuário, informa a autarquia.

Segundo comunicado enviado à agência Lusa pela Câmara Municipal de Braga, o referido acesso encontra-se cortado para que a Proteção Civil possa remover árvores que «oferecem risco à população» e que «ainda não há previsão para a conclusão» dos trabalhos.

No entanto, informa a autarquia, é possível aceder ao Bom Jesus do Monte pela Estrada de Este São Pedro ou pela Falperra.

Em Barcelos, parte do teto da Conservatória do Registo Civil ruiu nesta manhã, na secção de atendimento ao público, mas não atingiu funcionários nem utentes, informou fonte daquele organismo.

A derrocada deu-se cerca das 09:30, numa altura em que estavam vários utentes na sala. A conservatória continua aberta ao público, estando o atendimento a funcionar com a «normalidade possível».

Um buraco no teto e baldes no chão é o cenário com que se depara quem ali se desloca. A derrocada terá sido provocada pelas chuvadas dos últimos dias.

A subida do caudal do rio Ave causou «estragos elevados» na Trofa.