A bandeira azul vai ser atribuída a 298 praias, das quais 18 fluviais, e a 17 marinas, o que representa uma subida em termos globais a nível de praias de 8%, anunciou hoje o presidente do galardão.

José Archer sublinhou que em 2014 se ultrapassou, pela primeira vez, a marca dos 300 galardões atribuídos por todo o país, entre praias e marinas.

Na comparação entre 2013 e 2014, houve uma subida de cerca de 8% nos galardões atribuídos a praias, já que se passou de 277 para 298. A nível de marinas, a subida foi de 21%.

O responsável manifestou a satisfação pelo «empenho muito grande» dos municípios em cumprirem os requisitos, sobretudo depois do inverno rigoroso que se registou, lembrando que o galardão prevê o cumprimento de 30 requisitos, dos quais «26 são imperativos», bem como o «pré-requisito quanto à qualidade da água».

A entidade faz uma avaliação na altura do início da época balnear e uma monitorização ao longo do verão para comprovar o respeito pelos requisitos.

O presidente da Bandeira Azul admitiu que o galardão envolve «custos e investimentos avultados», mas recordou que os «retornos são quase imediatos», graças à maior circulação de pessoas pelos locais, assim como atividade económica.

No Norte, contabilizam-se 66 praias com bandeira azul distribuídas por 11 concelhos. Na lista estão três praias fluviais e registou-se a saída de Leça da Palmeira.

No Centro, receberam o galardão 27 praias que se encontram por 18 concelhos, um dos quais é novidade: Oliveira do Hospital. Em 2014, nesta zona, as bandeiras vão estar em oito praias fluviais e entrou uma praia para o lote: Alvôco das Várzeas.

Na zona do Tejo, foram contabilizadas 49 praias, das quais cinco fluviais. As bandeiras vão ser hasteadas em 13 concelhos, tendo-se registado a entrada de Pampilhosa da Serra e de quatro praias: Janeiro de Baixo, Pessegueiro, Santa Luzia e Lagoa de Albufeira do Mar.

As saídas foram das praias de Crismina, Calada, Algodio e Castelo.

No Alentejo, 27 praias e uma fluvial, podem hastear a bandeira azul, estando na lista sete concelhos e uma praia nova: Furnas. Nesta região, assinalou-se a reentrada do Farol.

«Continua recordista» o Algarve, ao somar 82 galardões, um dos quais para uma praia fluvial, contabilizando-se praias em 14 concelhos.

Para o leque de praias distinguidas entrou o Peneco e 12 reentradas: Castro Marim (3) Lagoa (5), Fuseta Ria, Inatel, Pescadores e Falésia-Açoteias.

Nos Açores, o galardão foi atribuído a 32 praias de 10 concelhos, registando-se a entrada para a lista da Baixa da Areia e seis reentradas: todas as do município da Praia da Vitória (Escaleiras, Praínha, Grande, Biscoitos, Porto Martins e Riviera). Sem bandeira azul vão ficar Porto Pim e a zona balnear de Santa Cruz da Graciosa.

Na Madeira, a bandeira pode ser colocada em 15 praias, ao longo de nove concelhos, tendo-se registado as reentradas na lista da Calheta, Ribeira Brava e Ponta Delgada. De saída esteve a praia Roca Mar.

Na lista de marinas destacou-se a reentrada das marinas da Praia da Vitória e Vila Franca do Campo (Açores) e a entrada da marina de Vila do Porto, também nos Açores.

O tema eleito para ser desenvolvido em ações de sensibilização nas praias, marinas, embarcações recreativas, este ano, é «Poluição nos Oceanos: esclarecer, planear e agir». Estão planeadas 712 atividades.