Uma criança com cerca de dois anos, filha de uma emigrante portuguesa em França, foi descoberta na mala do carro na sexta-feira. Aparentemente, passou lá toda a sua pequena existência.

A menina foi encontrada na mala do carro pelos mecânicos da oficina onde a portuguesa mandou arranjar um problema elétrico do carro. Os homens ouviram gemidos na bagageira e não podiam ficar mais surpreendidos com a descoberta: uma menina nua e desidratada, deitada em cima de sacos de lixo e com uma alcofa ao lado. Segundo o jornal «La Montagne», era intenso o cheiro a urina e a fezes.

Entrevistados pelo jornal local, os mecânicos estavam emocionados por ter ajudado a salvar uma vida, já que relatam que, quando a mãe segurou a menina, «a cabeça tombou» e «foi assustador». Contam que se se tivessem dado conta da situação 15 minutos depois «seria demasiado tarde».

As autoridades não encontraram, no entanto, sinais de violência. A população de Limousin, onde o casal reside, está incrédula com a situação.

A criança foi internada num hospital local e o casal português interrogado no domingo pelas autoridades, indiciados por negligência e abandono.

A mãe ilibou o marido de qualquer responsabilidade, afirmando que ele não sabia da existência da criança. A emigrante escondeu a gravidez e o parto da família e vizinhos.

Segundo o procurador do Ministério Público, «será muito difícil compensar as deficiências graves». Presume-se que a menina tenha entre 15 e 24 meses (já que nunca foi registada), e sofre de atrasos psicomotores, escreve o jornal francês.