Cerca de duas mil pessoas estavam às 18:00 concentradas junto à Assembleia da República, em Lisboa, depois de terem participado na manifestação promovida pelo movimento «Que se lixe a troika».

«Grândola» e muitas palavras de protesto

Ao som de música de intervenção, os manifestantes batem palmas, cantam e gritam: «Está na hora do Governo se ir embora» e «Assassinos. Assassinos».

De acordo com a Lusa, muitos dos que se juntaram aos protestos no percurso entre o Rossio e o Parlamento começaram a desmobilizar, sobretudo famílias e idosos.

Uma dezena de polícias nas escadarias do Parlamento

Cerca de uma dezena de polícias estava concentrada nas escadarias da Assembleia da República, em Lisboa, bloqueando, com grades, o acesso ao Parlamento, quando, às 17:10, ali chegou a cabeça da manifestação contra a troika.



Em frente às escadarias, uma multidão aguardava os manifestantes provenientes do Rossio, gritando palavras de ordem como «O povo unido jamais será vencido» e «Passos, escuta, o povo está em luta».



Abaixo da grade colocada entre os dois leões em pedra que ladeiam as escadarias do Parlamento foi colocado um palco onde artistas estão a atuar, com música de intervenção.

A manifestação do movimento «Que se lixe a troika» foi convocada em 14 cidades portuguesas com o objetivo de protestar contra as políticas de austeridade do Governo. As ações decorrem em Aveiro, Braga, Beja, Coimbra, Faro, Portimão, Funchal, Horta, Lisboa, Portimão, Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.

Em Lisboa, estão previstas várias intervenções políticas e culturais junto ao Parlamento.