Há já mais de mil médicos a trabalharem 40 horas por semana em vez das antigas 35. Metade são médicos de família. Passaram a ter mais 350 pacientes. Antes tinham 1550 agora tem 1900 doentes. Do outro lado e graças a esta medida, 175 mil portugueses passaram a ter médico de família.

É um avanço na falha sentida por tantos utentes, mas há ainda cerca de um milhão de doentes sem médico de família. De acordo com roque da cunha, do sindicato independente dos médicos, muito mais há a fazer.

O acordo foi feito em outubro de 2012, entre sindicatos médicos e ministério da saúde e segundo o secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos, se o processo tivesse sido mais célere, já havia mais utentes com médico de família. O problema maior está no interior do país.