A presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares, Isabel Jonet, mostrou-se esperançada que a recolha de alimentos a decorrer hoje e no domingo nos supermercados de todo o país supere campanhas anteriores.

No início de junho deste ano, os Bancos Alimentares recolheram 2.445 toneladas de alimentos, menos 195 do que em maio de 2012, mas Isabel Jonet afirmou à Lusa que tem «imensa esperança de que os portugueses sejam solidários e contribuam com o mesmo valor ou superem» as campanhas anteriores.

«Primeiro, porque é Natal e as pessoas estão mais sensíveis. Segundo, porque há mais necessidades e as pessoas sentem as dificuldades cada vez mais perto de si, portanto, na campanha [de hoje] tenho a certeza que vamos superar as quantidades porque há mais pessoas que precisam», disse Isabel Jonet, ainda sem dados sobre a recolha de hoje.

Neste fim de semana, os Bancos Alimentares Contra a Fome realizam uma campanha de recolha de alimentos em 1.895 supermercados, com 40 mil voluntários em 20 regiões do país

Até 08 de dezembro, decorrerá a campanha «Ajuda Vale», estando disponíveis nas caixas dos supermercados com um código de barras específico para os produtos destinados aos Bancos Alimentares.

Está ainda disponível a doação de alimentos pela internet, que permite a participação na campanha de pessoas que habitualmente não se deslocam ao supermercado ou que residam fora de Portugal, nomeadamente os emigrantes.

A campanha realiza-se numa altura em que os Bancos Alimentares, segundo Isabel Jonet, «têm mais pedidos de ajuda e menos produtos para entregar».

De acordo com a Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, em 2012 foram apoiadas 2.221 instituições de solidariedade, que entregaram os produtos alimentares a mais de 389.200 pessoas, sob a forma de cabazes de alimentos ou refeições confecionadas, num total de 28.323 toneladas de alimentos (com o valor estimado de 39.651 milhões de euros), uma média diária de 113 toneladas por dia útil.